Este site utiliza cookies. Continuando a navegar está automaticamente a autorizar os mesmos. Continuar

EXPEDIÇÃO 11 - 5 e 6 janeiro - Oliveira do Hospital

A EXPEDIÇÃO 11 da FORÇA DA NATUREZA foi composta por quatro senhoras voluntárias, da Paróquia do Estoril, que estiveram dois dias em Oliveira do Hospital a trabalhar na organização logística.

No sábado, ajudaram no armazém da roupa e dos alimentos, a organizar os bens doados às vítimas dos incêndios. Puderam testemunhar a dimensão da generosidade dos portugueses mas também o desafio que ainda é organizar todos estes bens. No dia seguinte, acompanhadas pelo presidente da junta de freguesia, puderam conhecer melhor este que foi um dos concelhos mais afetados pelos incêndios de 15 de outubro e testemunhar a Força da Natureza, que já fez o verde despontar nas cinzas.

Testemunho

OLIVEIRA DO HOSPITAL E A "FORÇA DA NATUREZA"

Sou uma cidadã anónima, sem qualquer necessidade de protagonismo, pois quando se ajuda não é para se dar a conhecer.... mas há casos e casos... e aqui tem de ser uma exceção... pois é por demais importante partilhar esta experiência...

Fui desafiada, por mais 3 amigas e por isso digo que tive a sorte de integrar esta Missão de Voluntariado, neste fim de semana, a Oliveira do Hospital, através da organização cívica " Força da Natureza" incluindo muitas das zonas afectadas pela tragédia que todos conhecemos, numa fase em três meses já decorreram desde essa data fatídica...

Ainda estou a gerir as emoções, o que vi, o que ouvi e a devastação encontrada, pois quando falamos em 93 % de área ardida e do impacto não temos noção!

As minhas palavras são as palavras de todas nós... pois foi o sentimento de todas e acho que elas também não se importarão...
Entre nós não havia palavras, pois os olhares diziam tudo, para além de que nos conhecemos bem...

Mas as pessoas que encontrámos, como da Junta de Freguesia, a Alexandra, o Sr. Fernando... que nos acompanharam em permanência, a sua força, coragem, entrega diária, deixando para trás a família em prol dos outros, não têm palavras.

Mas esta região e o que aconteceu NÃO PODE ficar ESQUECIDO, por isso dentro das minhas (nossas) possibilidades e com a maior humildade vou tentar, pouco a pouco, passar algumas imagens, alguns pensamentos e sobretudo dizer , como Sophia de Mello Breyner "VEMOS, OUVIMOS E LEMOS," NÃO PODEMOS IGNORAR'.

A comunicação social tem feito um bom trabalho e o nosso Presidente da República nem se fala, mas como cidadã sinto que tenho também a obrigação de dar voz àqueles que vivem naquelas aldeias maravilhosas e não a conseguem ter, pois lutam diariamente para ultrapassar o trauma que viveram... Sinto a obrigação de ajudar a manter-se viva aquela região de uma beleza estonteante e com uma herança cultural fantástica... Sinto a obrigação de honrar a solidariedade de todos os portugueses que ajudaram e continuam a ajudar... pois ali está um pouco de cada português, incluindo as comunidades de emigrantes e estrangeiros....

Mas sobretudo honrar a força, a coragem dos que diariamente continuam a trabalhar para minimizar o sofrimento daquelas gentes, que tudo esperavam menos o que aconteceu...

Chamar a atenção para o muito que ainda falta fazer e que não fique esquecido!

E é de louvar a "Força da Natureza" que nos levou até lá e a que começa a despontar no meio das cinzas.

Vou, pouco e pouco tempo e em nome de todas nós, partilhar o que vimos, sentimos e sobretudo dizer que NÃO SE PODE PARAR! NÃO SE PODE ESQUECER!
Tem de se visitar.